c
x
v
t
u
e
b
h
i
j
IMG_5082

ENGENHO URUAÉ

Visitar os Engenhos de Goiana é estar em contato com uma parte importante da história do Brasil. E um dos exemplos, está localizado a apenas alguns quilômetros do centro da cidade de Goiana. Ir ao Engenho Uruaé é como adentrar nos livros que contem histórias do periodo colonial do Brasil e da produção de cana-de-açucar: os funcionários te recebem com roupas de época a tulhas, maquinários e terreiros bem preservados fazem parte da experiência do visitante.

No Engenho Uruaé - importante conjunto arquitetônico do século XVII - você pode ter acesso a um verdadeiro museu com móveis e objetos da época do descobrimento, formado por casa-grande, senzala e capela. Os quartos da Casa Grande são equipados com ar-condicionado, frigobar e TV, unindo a modernidade à decoração clássica imperial, com móveis do século passado. No total são 17 leitos e uma grande tranqüilidade no clima frio.

Seus canaviais receberam visitas ilustres como João Alfredo Correia de Oliveira, ministro e conselheiro do Segundo Império; e Belarmino Correia de Oliveira, médico que, posteriormente, fundou a cidade de Goiana. Hoje é administrada pela sétima geração da família que a construiu e explora o turismo rural como atividade alternativa à produção agropecuária.


Clássica, a cana se renega
ante a moenda (morte) da usina:
nela, antes esbelta, linear,
chega despenteada e sem rima.
(Jogada às moendas dos banguês
onde em feixes de estrofes ia,
não protestava contra a morte
nem contra o que a morte seria).
Na usina, ela cai de guindastes, anárquica, sem simetria:
e até que as navalhas de moenda, quebrando-a, afinal, a paginam,
a cana é trovoada, troveja
perde a elegancia, a antiga linha,
estronda com o sotaque gago
de metralhadora, desvaria
Não fossem as saias do ferro
da antemoenda que a canalizam,
quebrar-lhe os ossos baralhados
faria explodir toda a usina:
não é mais a cana multidão
que ao tombar é povo e não fila
ao matadouro final chega
em pelotão que se fuzila.
(Moenda da Usina - A. Lais e Marcelo Cabral da Costa)

CATEGORIA  :  Eco-Venturas,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.